A gestão hídrica não precisa de alto consumo de energia

Normalmente, os processos de tratamento de água e efluentes totalizam 25-40% da conta de eletricidade de um município e equivalem a 4% do consumo de eletricidade global. As instalações de água e efluentes são, portanto, normalmente as maiores consumidoras individuais de água de um município.

O uso extensivo de conversores de frequência e sensores on-line em tempo real cria a base para o controle avançado de processos em tempo real. 

Eles agora são combinados com produção de energia com base em metano a partir de um digestor da usina de efluentes, resultando nas primeiras instalações completas em uma base completamente neutra em energia. Isso é obtido sem adicionar fontes de energia externas, como, entre outras, carbono, solar e eólica. A neutralidade energética cobre todo o ciclo da água, desde a produção e distribuição de água até o bombeamento e tratamento de efluentes.

Sistema de canalização de efluentes

Otimização energética e controle de SCADA do sistema de canalização de efluentes também são uma tendência crescente. Ao usar os conversores de frequência da Danfoss, é possível melhorar a eficiência da bomba entre 15-30% e, também, reduzir drasticamente os custos de manutenção. A função "deragging" evita que a eficiência das bombas caia ao aumentar a marcação e estender os intervalos de manutenção das bombas. Usar um conversor de frequência junto com um sistema SCADA também oferece a possibilidade de garantir a utilização máxima da capacidade do volume no sistema de canalização em relação a expansão de água de tempestades.      

Usinas de tratamento de efluentes

As últimas tendências em usinas de tratamento de efluentes são "Biorrefinaria" e "Instalações de Recuperação de Recursos Hídricos". Elas cobrem a aceitação geral de que os efluentes precisam ser considerados como um recurso a partir do qual tanto recursos energéticos quanto valiosos podem ser ganhos. Em alguns dos casos mais avançados, a produção de energia agora (mesmo sem adicionar carbono ou recursos de energia externos) alcançou um nível onde a energia recuperada de um processo de tratamento de efluentes não apenas cobre as próprias necessidades da usina, mas também as necessidades energéticas para a produção e distribuição de água potável, além do bombeamento de efluentes. Em outras palavras, todo o ciclo hídrico pode ser considerado neutro em energia.

Uma condição prévia para neutralidade de energia é um cabo de controle na forma de um conversor de frequência disponível para todo o equipamento rotativo, de modo que a instalação, totalmente controlada por computador, pode se adaptar às variações de carga. Normalmente, 30-60% da energia é usada no processo biológico; Normalmente, o controle do conversor de frequência pode cortar o consumo de energia em 20-40%. O controle de sujeira por meio do controle das bombas RAS é similarmente importante tanto para limitar o consumo de energia quanto para evitar a "queima" do carbono, que é necessária para gerar gás e, consequentemente, produzir energia. Os conversores de frequência da Danfoss foram escolhidos por algumas das instalações mais avançadas, onde alta eficiência instalada da unidade e maior confiabilidade e facilidade de operação foram critérios de seleção fundamentais.

Geração de energia excedente a partir do tratamento de efluentes

Desde 2010, a usina de tratamento de efluentes de Marselisborg transformou seu foco de minimizar a energia consumida para maximizar o excedente líquido de energia. Hoje em dia, a instalação tem produção líquida de eletricidade e aquecimento, alimentando o sistema de aquecimento do distrito no segundo maior município da Dinamarca, Aarhus. Assim, a pegada de carbono foi reduzida em 35%.

Aplicações relacionadas

Estudos de caso

Documentos

Nova geração VLT® AQUA Drive

Descubra mais sobre como alcançar gestão energética e excelente vazão de água.

Produtos relacionados

Em breve...

Em breve...